Banda B33

Dois amigos e um plano B

Um início inesperado! Nada planejado!
A BANDA #B33 surgiu de um encontro casual de dois músicos que já tocavam na noite.
Durante uma apresentação do músico Tadeu Freitas, um dos frequentadores do local ficou encantado com sua performance no palco. Ao final do show, fez questão de ir ao camarim cumprimentar o artista. Apresentou-se como Fellipe (BITTH), também músico. Rasgou elogios e se permitiu dar alguns toques de como achava que o som poderia ficar ainda melhor. Tadeu o atendeu com incrível simpatia e receptividade. O papo fluiu, a música os aproximou, e algumas cervejas depois começaram uma parceria de sucesso que dura até hoje.
A consequência natural foi o surgimento de uma grande amizade e, posteriormente, a criação da BANDA #B33. Um projeto desenvolvido em conjunto, porém com cada um imprimindo sua própria personalidade, identidade, habilidade e especialidade, aliadas à experiência musical conquistada por ambos na noite.
A cada dia a banda tem se fortalecido mais e mais. Bitth, com uma grande facilidade para compor e contar histórias. Tadeu Freitas, com impressionante naturalidade para musicalizar tudo o que o parceiro apresenta em suas letras.
E foi após mais um desses encontros que se desenvolveu o novo single da BANDA #B33. Da letra criada por BITTH, e música aprimorada por TADEU, nasceu a canção: “O NUDE É MEU”.
A faixa, gravada nos estúdios da SOM MUSIC RECORDS, com produção musical de Alex Bolinha, será lançada pelo selo MÚSICA BOA / SOM LIVRE. E juntamente com o clipe oficial, produzido pela AW FILMES, já estará disponível a partir do dia 06.09.2019 em todas as plataformas digitais.


CONEXÃO 21

A música como conexão!

Depois do sucesso do 1º clipe ENTÃO VEM CÁ, lançado no dia 16 de junho de 2019, já com mais de 120 mil visualizações no YouTube, chegou a hora da dupla CONEXÃO 21, composta pelos amigos Guilherme Max & Victor Clain, trabalharem o 2º clipe EU NÃO SEI.
Com lançamento previsto para o dia 16 de agosto de 2019, justamente dois meses após a faixa de estreia, o novo single promete consolidá-los como uma das boas apostas do Rio de Janeiro para o Brasil. A música EU NÃO SEI retrata a realidade de um amor proibido, onde nenhum dos envolvidos consegue dar um basta nas armadilhas e nos perigos desta difícil relação!
Max & Clain sempre tiveram a música como principal conexão em suas vidas!
Victor Clain, nascido e criado na zona norte do Rio de Janeiro, convive com a música por influência familiar desde pequeno. Seu pai é cantor, trabalha com produção musical, por isso cresceu também cantando e tocando no coral da igreja onde frequenta.
Guilherme Max, nascido e criado em Cordovil, Rio de Janeiro, esteve muito envolvido com o esporte no passado, porém desde pequeno também tem a música como grande paixão. Muito tímido na juventude, usava a música para se expressar. Uma de suas referências no meio musical é o amigo Delacruz.
Por obra e acaso da vida Max & Clain tiveram os caminhos conectados, desenvolvendo imediatamente uma grande amizade. A consequência natural foi o surgimento de uma parceria musical entre os dois, até chegarem à criação do projeto CONEXÃO 21, em outubro de 2018. Tudo tem acontecido muito rápido na vida dos dois. Desde a gravação do primeiro single, em um estúdio na Barra da Tijuca, até o lançamento do clipe da música, em junho de 2019.
Hoje já possuem um estúdio próprio, por comodidade e disponibilidade, para assim criarem o melhor conteúdo possível. E parece que essa aposta tem dado certo! A prova disso é a ascensão meteórica que tem alcançado em tão pouco tempo.
“Temos muitos planos pela frente e estamos no início ainda. Queremos que todas as pessoas que escutarem nossas músicas possam se identificar em algum momento, que consigam sentir o mesmo sentimento que nós dois. Esperamos de coração que todos gostem do nosso trabalho”, diz Victor Clain.


RAEL

Coisas do Meu Imaginário

Nascido e criado na zona sul de São Paulo, no Jardim Iporanga, o cantor e MC Rael começou a construir sua história no rap com o grupo Pentagono, que se tornaria referência no rap nacional.
Em 2010, lançou seu primeiro disco solo, “MP3 – Música Popular do Terceiro Mundo”, com o qual teve a chance de rodar o Canadá em turnê.
Em 2013 veio “Ainda Bem que Eu Segui as Batidas do Meu Coração”, o primeiro pelo selo Laboratório Fantasma, produzido pelo duo norte-americano K-Salaam & Beatnick. Depois de rodar o país com a turnê do álbum, teve a chance de se apresentar no lendário Joe’s Pub, em Nova York. A é casa conhecida por receber o primeiro show de Amy Winehouse nos EUA e nomes como Adele, Mos Def e Norah Jones. Em 2013 Rael também viu seu “Ainda Bem” indicado ao prêmio de melhor álbum de música compartilhada no Prêmio Multishow.
Em 2014, colocou nas ruas o EP “Diversoficando”, em uma ação inédita: o trabalho foi disponibilizado para audição em muros de São Paulo e do Rio por meio de dispositivos instalados pelo próprio Rael.
A iniciativa virou notícia de Norte a Sul do país, e o rapper entrou 2015 com “Envolvidão”, single do álbum, nas paradas das mais pedidas das rádios. Hoje, a faixa já passa dos 70 milhões de views no YouTube. Seu novo projeto, “Coisas do Meu Imaginário”, tem produção de Daniel Ganjaman e participações de Chico César, Ogi e Black Alien, entre outros.
Lançado em 2016, rendeu a Rael presença nas principais listas de melhores do ano, além do Prêmio da Música Brasileira de Melhor Cantor. No ano seguinte, com a tour do álbum faria um show celebrado como um dos melhores do palco Sunset, no Rock in Rio, convidando Elza Soares. O ano de 2017 ainda seria marcado pela estreia de um novo show, que segue rodando o país, em homenagem a Vinicius de Moraes.


FIÓTI

#daprafazer

Cantor. Compositor. Instrumentista.
Administra a empresa Laboratório Fantasma, que fundou ao lado de seu irmão Emicida e que funciona como gravadora, editora e agência de shows.
Em 2016 lançou, pelo selo Laboratório Fantasma/ Pommelo Distribuições, o EP “Gente bonita”, com seis faixas, sendo essas “Gente bonita” (Fióti e Emicida), “Obrigado, Darcy!” (Emicida, Rael e Nave), “Pitada de amor” (Fióti e Emicida), “Só leve flores” (Fióti e Coruja BC1), com a participação de Anelis Assumpção, “Só uma mulher” (Fióti e Emicida) e “Vacilão” (Fióti, Rodrigo Campos e Ogi), que contou com a participação de Jussara Marçal no coro.
Ao lado de seu irmão Emicida criou a grife LAB, com roupas assinadas pelo estilista João Pimenta.
Participou pela primeira vez do São Paulo Fashion Week, a semana de moda mais badalada do país, no ano de 2016, com a participação de Seu Jorge, como modelo. Em 2017 o desfile da grife foi inspirado na mescla dos gêneros samba e hip-hop.

Discografia
(2016) Gente bonita • Laboratório Fantasma/ Pommelo Distribuições
Gente bonita (c/ Emicida)
Pitada de amor (c/ Emicda)
Só leve flores (Fióti e Coruja BC1)
Só uma mulher (c/ Emicda)
Vacilão (c/ Rodrigo Campos e Ogi)

(2017) Dá pra Fazer • Laboratório Fantasma
Dá pra Fazer (c/ Emicida)
Dá pra Fazer Remix (c/ Emicida e Twelve’len)

Fonte: www.dicionariompb.com.br/fioti


WhatsApp chat